Quem somos

Nós comemos pelas beiras, desdobramos produções, pesquisamos, reunimos parceiros e imaginamos formas de circulação da fotografia. Estar na beira é fronteira, é distância e aproximação. É quase, mas não é. Queremos que a fotografia circule por amplos horizontes.

Reunião dos fotógrafos Camila Domingues, Cristiano Sant’Anna, Eduardo Seidl e da jornalista Clarissa Pont, a Beira é um coletivo que aposta na circulação da fotografia, na pesquisa sobre narrativa, na construção de novas formas de financiamento e na realização de publicações independentes.

 

Camila Domingues (1987) é jornalista e fotógrafa. Trabalhou como fotojornalista e foi coordenadora de fotografia da Secretaria de Comunicação no Governo do Estado do RS. Participou de exposições coletivas no Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Brasília. Seus trabalhos também foram expostos no Uruguai e na Somerset House, em Londres (Reino Unido). Dentre prêmios, já recebeu o Prêmio Brasil de Esporte e Lazer de Inclusão Social do Ministério do Esporte (2010), o 2º lugar no Prêmio Jornalismo Ministério Público do Rio Grande do Sul (2010) e o 2º lugar no Concurso Fotográfico do IV Seminário de Imagem e Atualidade 2010, da PUC Campinas (2010). A fotógrafa organizou o livro “Os 50 anos da Legalidade em Imagens”, lançado em 2011, sendo finalista do Prêmio Açorianos de Literatura em Porto Alegre. Em 2015, produziu e organizou o livro “Olhos do Pampa”, do fotógrafo Tadeu Vilani.
Cristiano Sant´Anna (1973) é jornalista e fotógrafo. Depois de trabalhar para jornais do sul do Brasil, atualmente administra uma agência de fotojornalismo focada em  cobertura de grandes eventos como a Campus Party Brasil e a Bienal do Mercosul. Contabiliza exposições no Centro Cultural da CEF ( Brasília), na Galeria Lunara (Porto Alegre) e no NanoFotoFest (Buenos Aires). Em abril de 2014 recebeu financiamento via Fumproarte para desenvolver o projeto Quase Paisagem –Taim e publicou o fotolivro Arquipélago, sobre as comunidades de pesca artesanal próximas a Porto Alegre. Atualmente desenvolve os projetos Rua dos Gusmões 236 e Hotel da Loucura, oficina de narrativa coletiva em fotografia na crackolândia (São Paulo) e no Instituto Nise da Silveira (Rio de Janeiro), respectivamente.
Eduardo Seidl (1978) é jornalista, fotógrafo e docente de fotojornalismo na Famecos/PUCRS. Em Porto Alegre fotografou nas redações dos diários Correio do Povo, Jornal do Comércio, Sul21, em comunicação governamental e sindical, além de eventos como FSM, Bienal do Mercosul, Feira do Livro de Porto Alegre, FISL e FestFotoPoa. Desenvolveu trabalhos documentais em 10 países latinoamericanos, além de coberturas para a Agência Carta Maior. Coordenou o Projeto Imagens Faladas publicado em livro em 2010 a partir do Prêmio Interações Estéticas da Funarte, participou como convidado de uma série de exposições coletivas pelo Brasil, também teve trabalhos selecionados para o festival boliviano Fotoencuentros 2007 e para a Fotografia Brasileira Contemporânea do 4º FestFotoPoa em 2010. É mestre em narrativa fotográfica em Comunicação na Unisinos.

 

Realização Apoio Financiamento